área de acesso restrito
  • continuar conectado
Lembrar minha senha
sem cadastro

Pela conscientização e inclusão

14/02/2020 | Geral

Empresas e associações do transporte coletivo realizaram diversas ações para informar a população sobre o autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um distúrbio que afeta a comunicação e a capacidade de aprendizado e adaptação da criança, geralmente diagnosticado entre um e três anos de vida. É dividido em três níveis (leve, moderado e severo), cada um com suas particularidades. Com o tratamento adequado, vários sintomas do autismo podem ser atenuados, melhorando a qualidade de vida do portador. A ONU decretou o dia 2 de abril como Dia Mundial de Conscientização do Autismo.

O tema foi abraçado por diversas empresas de transportes urbanos ao longo do ano passado. Veja algumas ações:

Ao longo do mês de conscientização sobre o autismo, em abril de 2018, um ônibus urbano adesivado de azul e com informações sobre o distúrbio circulou por Juiz de Fora (MG). A iniciativa partiu de uma parceria firmada entre o Grupo de Apoio a Pais e Profissionais de Pessoas com Autismo de Juiz de Fora (Gappa-JF), a Prefeitura de Juiz de Fora e a Auto Nossa Senhora Aparecida (Ansal), empresa que faz parte dos Consórcios Integrados de Transporte Urbano de Juiz de Fora (Cinturb).

O objetivo da ação foi chamar a atenção do público sobre o assunto e, ao mesmo tempo, conscientizar sobre o tema. “O convívio com as pessoas que dão suporte para a causa e para o estudo do autismo mostra que a sociedade está aprendendo a conviver com ele e muito contribui para a conscientização da população. Assim como os coletivos foram plotados em campanhas anteriores, e chamaram a atenção, associar novamente a uma causa como esta despertará na população uma curiosidade”, afirmou o vereador Marlon Siqueira (MDB), um dos integrantes do Gappa-JF, para o site Tribuna de Minas Gerais.

A presidente do movimento, Ariene Pereira, comemorou a iniciativa: “É uma oportunidade de ampliar e divulgar a conscientização sobre o autismo e também sobre o Gappa. Com a logomarca presente no ônibus, muita gente vai passar a conhecê-lo. Por isso enxergamos nessa iniciativa uma forma de chegar a outras famílias que convivem com o autismo, para que elas busquem apoio em nós”, destacou.

Em março de 2019, a empresa Transa Transporte, de Três Rios (RJ), trouxe a campanha ‘‘Com amor e respeito as peças se encaixam’’, que buscava a conscientização dos usuários do transporte coletivo sobre o autismo e discutia como lidar com pessoas que possuem o distúrbio, especialmente crianças. A ação envolveu também veiculação em mídias sociais e busca de empresas interessadas em expandir a campanha.

A ideia para a campanha surgiu de uma sugestão de duas mães de autistas que utilizam os coletivos. Segundo elas, o comportamento ocasional dos filhos autistas nos ônibus passa uma impressão equivocada aos outros passageiros. “O autismo não apresenta nenhuma característica física, e as pessoas não cedem o lugar. Na maioria das vezes, as crianças vão em pé, porém algumas delas têm crises por conta da movimentação do ônibus e das pessoas, a questão do toque, então algumas começam a gritar e ficar agitadas, e as pessoas reclamam por não entenderem”, disse Sandra Cabral Machado Viana, mãe dos pequenos Isaque e Giovani, que possuem graus diferentes de autismo.

Sensibilizada com o caso, a diretora da Transa Transporte, Virgínia Cassini, decidiu embarcar na iniciativa: “Nós percebemos as dificuldades que as pessoas com alguma deficiência passam dentro dos ônibus, em especial, na questão do respeito a elas e seus familiares. Acreditamos que podemos verdadeiramente ajudar a associação das mães de autistas para que eles sejam respeitados e as pessoas tenham um olhar mais humano sobre o indivíduo autista”, explicou.

Em parceria com as associações Fortaleza Azul e Pintando o Sete Azul, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) lançou, em agosto de 2019, a campanha ‘‘O autismo não se cura, se compreende’’. O objetivo foi esclarecer clientes e colaboradores sobre o autismo, informar sobre a prioridade aos autistas no transporte coletivo (a Lei Federal 12.764/2012 considera autistas como pessoas com deficiência, o que lhes garante o direito a assentos prioritários no transporte público), dar orientações em caso de crise e estimular a empatia e o respeito.

Para a campanha foram produzidos folders ilustrados, spots para rádio, inclusão do símbolo do autismo em assentos prioritários nos coletivos e distribuído material de treinamento para os colaboradores. Também estiveram presentes no evento de lançamento da campanha, além das empresas de transportes filiadas, representantes do Detran-CE, da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

A última ação ocorreu no dia 14 de dezembro, quando a Expresso Maringá, responsável pelo transporte coletivo em São José dos Campos (SP), levou crianças e jovens do Instituto Viva Autista em um passeio no ônibus iluminado de Natal da empresa. A viagem percorreu as principais vias da zona central da cidade e terminou na Avenida Nelson D’Ávila, onde lojistas apoiadores esperavam para distribuir lanches e presentes do Papai Noel para as crianças.

Matéria publicada na Revista NTUrbano Ed. 42 Novembro/Dezembro de 2019